PUBLICIDADE

“O PAC tem que ter continuidade para atender os municípios que não sediarão a Copa”

Mauro lopes é deputado federal pelo PMDB/MG e está em seu 4º mandato. É coordenador da Frente Parlamentar do Transporte Público na Câmara dos Deputados.

NTU - Quais os planos da Frente Parlamentar do Transporte Público em 2010?

Mauro Lopes - Em 2009, conseguimos uma vitória ao aprovar na Câmara dos Deputados o projeto de lei da desoneração tributária do transporte público com apoio de todos os partidos. Essa proposta encontra-se no Senado Federal (PLC 310/2009) e já estamos trabalhando em conjunto com a Frente Nacional de Prefeitos, Fórum de Secretários de Transportes e outras entidades para aprovar a matéria o mais rápido
possível. Assim, benefi ciaremos a população em geral com uma redução em torno de 20% nas tarifas do transporte. Também é prioridade a aprovação no Senado Federal do PLC 185/2008, do deputado Jackson Barreto, que visa colocar um ponto final na concessão indiscriminada de gratuidades no transporte público. Essa proposta prevê que a concessão de benefícios tarifários a uma classe ou coletividade deverá ser custeada com recursos próprios e específicos da autoridade pública, sendo vedado atribuir o custeio aos usuários, que na sua maioria são pessoas de baixo poder aquisitivo.


NTU - a Frente mudou-se para uma sede nas dependências do Congresso. o que essa mudança representa?

ML - Uma das primeiras ações sob a minha coordenação na Frente foi a mudança da sede, pois precisamos estar mais próximo dos integrantes, assessorando-os na análise das matérias que afetam diretamente o transporte público. Além disso, a nova sede é um espaço importante para os parlamentares interagirem com todos os protagonistas desse serviço na defesa de um transporte público de qualidade, como prefeitos,
secretários, trabalhadores, associação de usuários, empresários, técnicos e outros. Organizamos um cadastro com mais de 1.600 endereços desta comunidade do transporte público, a qual passará receber em breve um informativo.

NTU - o Governo Federal divulgou o PaC da Mobilidade Urbana visando a Copa de 2014. Qual a sua opinião ?

ML - Foi um passo importante na priorização do transporte público coletivo, com investimentos para construção de BRTs, metrô, corredores para
ônibus e VLT, o que certamente irá beneficiar a vida da população das 12 capitais que serão sede dos jogos. Contudo, não podemos esquecer das outras cidades que possuem transporte público organizado e continuam a enfrentar enormes congestionamentos, dificultando a mobilidade das pessoas. O PAC tem que ter continuidade para atender essas cidades. Os serviços de transporte têm que ter mais investimentos e ser tratado como política de governo nos mesmos moldes da educação e saúde, visando a melhorar a qualidade de vida da população.


NTU - a Comissão de Viação e Transporte da Câmara, da qual o senhor faz parte, foi a uma missão ofi cial na China. Qual a sua impressão sobre o transporte do país?

ML - Em um país cuja população é grande, imagine garantir o ir e vir de cada cidadão todos os dias. Pequim, com 15 milhões de habitantes,
possui uma rede de transportes formada por trens, trens leves, bondes, ônibus e miniônibus. Nessa cidade, conhecemos a maior fábrica de
trens do mundo. Com as Olimpíadas realizadas em Pequim (2008), foram implantados BRTs com veículos de 12 e 18 metros. O resultado surpreendeu e estimulou a implantação em mais setes cidades de maior concentração populacional.Para a Expo Xangai, que ocorrerá este ano, estão construindo uma linha de trem de alta velocidade para ligar Xangai a Pequim e 38 pistas de rolamento para atender ao transporte público.

 

Fonte: NTUrbano 

PUBLICIDADE