PUBLICIDADE

Legado: Novos BRTs passam a transportar a população nesta terça-feira

Lote Zero do Transoeste e Transolímpica estreiam com quatro serviços. Faixas olímpicas terminaram

Gustavo Ribeiro

Rio - Enfim, a população do Rio pode, a partir de hoje, utilizar os BRTs inaugurados para a Olimpíada que estavam atendendo só usuários do RioCard Jogos Rio 2016. São eles o Lote Zero do Transoeste (trecho inicial do corredor), entre o Terminal Alvorada e o Jardim Oceânico, e o Transolímpico, ligando o Recreio dos Bandeirantes a Deodoro. A via expressa Transolímpica, com 26 quilômetros de extensão, será aberta aos veículos só na sexta-feira.

Somando-se aos demais serviços de ônibus articulados já existentes, estima-se que o sistema BRT vai beneficiar cerca de 640 mil pessoas por dia — hoje são atendidas 370 mil diariamente. Os novos BRTs estarão à disposição de cariocas e visitantes por meio do Bilhete Único Carioca (tarifa de R$ 3,80), sem necessidade do RioCard Olímpico. Inicialmente, serão inaugurados três serviços para o Lote Zero e um para o Transolímpica, todos paradores.

Clique aqui para ver a imagem completa

Legado: novos BRTs passam a transportar a população hoje Arte O Dia

Pelo Lote Zero, serão feitas as ligações Terminal Alvorada — Jardim Oceânico, em 20 minutos de viagem, Jardim Oceânico — Recreio (40 minutos) e Jardim Oceânico — Terminal Olímpico (30 minutos). A Estação Parque Olímpico (uma antes do terminal) só abrirá a partir da Paralimpíada. O primeiro serviço funcionará 24 horas nas estações Alvorada, Barra Shopping, Ricardo Marinho, Afrânio Costa, Bosque Marapendi e Jardim Oceânico. As demais paradas do trajeto e as outras duas linhas irão operar de 5h à 1h.

O BRT Transolímpico estreia com a linha Terminal Paralímpico (Recreio) — Vila Militar, funcionando 24 horas nas estações São José de Magalhães Bastos, Pe. João Chribbin, Mal. Fontenelle, Boiuna, Outeiro Santo, Leila Diniz, Asa Branca, Morro do Outeiro, Olof Palme, Catedral do Recreio. As demais ficam disponíveis das 5h à 1h. O percurso será feito em 52 minutos.

Os serviços expressos (que param em menos estações) serão lançados nas próximas semanas, sobretudo após os Jogos Paralímpicos, que serão realizados de 7 a 18 de setembro.

Os passageiros terão redução de até 50% do tempo de percurso com o Lote Zero e de 60% com o Transolímpico, segundo a prefeitura.

Inaugurada no início de agosto, a Linha 4 do metrô (Ipanema - Barra) foi fechada ontem e voltará a funcionar para o público da Paralimpíada, sendo exigidos ingresso de competições e o RioCard Olímpico. O acesso para a população geral será a partir do dia 19. O Lote Zero possibilitará integração com a Linha 4 no Jardim Oceânico, como aconteceu durante os Jogos.

Termina operação especial no trânsito e nos transportes

A rotina do trânsito e transportes volta ao normal hoje. As Linhas 1 e 2 do metrô, que tiveram horário especial nos Jogos, voltam a abrir de 5h à meia-noite, nos dias úteis, e 7h às 23h, nos domingos e feriados. Além disso, as faixas olímpicas deixaram de valer desde o início da madrugada. Algumas dessas faixas voltarão a ser exclusivas na Paralimpíada, mas ainda serão divulgados detalhes.

O secretário de Coordenação de Governo do município, Rafael Picciani, confirmou ontem que serão criados alguns serviços especiais de BRT para uso exclusivo dos espectadores das competições paralímpicas, mas serão trechos pontuais, como uma linha entre o Jardim Oceânico e o Parque Olímpico, na Barra. As ligações inauguradas não sofrerão restrições.

O VLT também volta ao normal hoje: das 6h à meia-noite, com intervalo de 15 minutos. De 11h às 19h, haverá serviço extra da Parada dos Navios ao Santos Dumont, com intervalos de 8 minutos.

Com saída de delegações e turistas, Galeão bate recorde de movimento

Com o maior movimento da história do Aeroporto Internacional do Rio — a expectativa era receber 85 mil passageiros — longas filas se formaram ontem nos balcões de checkin e na passagem pelo controle de raio-X e da Polícia Federal. Para se fazer o checkin, no fim da tarde, a espera era de cerca de uma hora.

Até as 23h45 a estimativa era de que 114 voos decolassem transportando 8.724 integrantes da família olímpica, entre atletas, integrantes da comissão técnica e jornalistas. Até terça-feira, funcionarão balcões de checkin remoto na Vila dos Atletas para facilitar o embarque das delegações.

Medalhista de ouro no remo, o britânico Constantine Louloudis reclamou. “Foi minha primeira vez no Rio e achei muito divertido. Mas essa fila não está ok”, disse. Teve ainda quem fosse lá para ver de perto os atletas. O aposentado Naldo Carvalho, de 66 anos, foi de Inhaúma ao Galeão para tirar fotos com os estrangeiros. “Fui a vários jogos, aproveitei o Boulevard. A Olimpíada foi maravilhosa e já estou com saudade”, contou.

Um mural foi colocado no setor de embarque para que atletas e visitantes deixassem mensagens para os cariocas. Alguns americanos escreveram pedidos de desculpas pelo comportamento do nadador Ryan Lochte, que inventou ter sido assaltado no Rio. O mau tempo prejudicou algumas decolagens. Até as 16h, 10% tinham algum atraso.

 

Fonte: O Dia

PUBLICIDADE