PUBLICIDADE

Termina fase experimental do BRT Belém e sistema será ampliado ainda em agosto

Depois de 30 dias de fase experimental, quando a população pôde andar gratuitamente no ônibus BRT e conhecer o Terminal Mangueirão e a Estação Antônio Baena, o sistema de transporte público de Belém dá mais um passo. A partir desta segunda-feira, 1º de agosto, termina o caráter experimental e o serviço passa, de fato, a ser oferecido como opção de meio de transporte público na capital, com novidades aos usuários.

A primeira mudança é que, com o fim da fase experimental, para utilização do ônibus BRT passará a ser aplicada a partir dessa segunda-feira a tarifa de R$ 2,70, com a meia passagem para estudantes e todas as gratuidades previstas em lei. Dentro das próximas semanas também serão anunciadas as primeiras linhas que farão a integração com o sistema dentro do Terminal Mangueirão.

“Esses 30 dias de funcionamento em caráter experimental foram fundamentais para os usuários conhecerem essa nova modalidade de transporte e para que nós fizéssemos os ajustes físicos, técnicos e logísticos necessários para agora começar a ofertar o serviço pra valer ao usuário”, comemora Ana Paula Grossinho, que comanda a Superintendência Executiva de Mobilidade Urbana de Belém.

O horário de funcionamento do BRT na segunda-feira se mantém de 9h às 16h, mas a superintendente da Semob informa que esse atendimento será ampliado para o horário de 8h às 17h ainda nesta primeira semana de agosto. A outra boa notícia é que nos próximos dias serão entregues outras duas estações – a Marambaia, em frente ao conjunto Gleba, na Avenida Augusto Montenegro, e a Júlio César -, ampliando a opção de mobilidade dos usuários e, consequentemente, a capacidade do sistema. 

Com essa ampliação no número de estações a Prefeitura de Belém deve anunciar, até o final de agosto, as primeiras linhas de ônibus expresso com integração total ao BRT dentro do Terminal Mangueirão, o que já dará possibilidade de o passageiro fazer o transbordo entre BRT e expresso sem pagamento adicional de tarifa. “Será uma integração gradual, inserindo cada uma das 11 linhas expressas aos poucos no Terminal, ou seja, inserindo uma comunidade atendida por vez, respeitando o tempo necessário para que todos entendam como a integração funcionará”, diz Ana Paula. “Nossa intenção desde o início é que o sistema de transporte público por BRT fosse incorporado ao sistema de mobilidade de Belém de forma orgânica, com participação ativa da população e sem mudanças bruscas que afetassem as formas de deslocamento. A inserção de novas linhas expressas na integração está diretamente relacionada ao aumento de número de estações abertas, ou seja, a cada estação entregue vamos inserindo novas linhas na integração e ampliando o horário de atendimento, já que a capacidade de circulação de usuário também vai aumentar. Nesta fase inicial o BRT ainda vem se somar ao sistema que já existe, dando mais opções de desejo de viagem ao usuários”, ressalta a superintendente da Semob.

Texto: Esperança Bessa
Foto: Alessandra Serrão – NID/Comus
Superintendência Executiva de Mobilidade Urbana de Belém (SeMOB)

 

Fonte: SEMOB

PUBLICIDADE