PUBLICIDADE

Preço do Riocard olímpico, que custa no mínimo R$ 25, causa polêmica

Comprar o Riocard especial para os Jogos, à venda desde a semana passada, vai pesar no bolso de parte do público. Durante a competição, o bilhete será o único aceito no BRT Transolímpico (Vila Militar-Recreio) e na Linha 4 do metrô (Ipanema-Barra). É exclusivamente com ele também que passageiros usarão serviços especiais de ônibus que sairão do Jardim Oceânico e de Vicente de Carvalho (esse último pelo caminho do BRT Transcarioca) rumo ao Parque Olímpico. O problema é que o cartão mais barato custa R$ 25, para uso ilimitado por um dia. Valor que pode deixar a viagem até R$ 17,40 mais cara para quem precisar de apenas um ônibus para ir e outro para voltar.

- Acho um absurdo, levando em conta que uma passagem de ônibus custa R$ 3,80 - criticou o fotógrafo Diego Mendes, que sairá de Copacabana para assistir a partidas no Parque Olímpico.

Segundo o secretário municipal de Coordenação de Governo, Rafael Picciani, nada impede que o público use o transporte regular. Mas, diz ele, o serviço especial será mais rápido e deixá os usuários mais perto de algumas arenas. Picciani lembra que, em edições do Rock in Rio, cerca de 40 mil pessoas por dia escolheram o cartão do transporte em ônibus executivos.

Fonte: O Globo

PUBLICIDADE