Caixa libera 560 mi e o Buriti garante obras do Expresso-DF

Sistema deve estar pronto até o final de 2013
Os recursos para a conclusão do Sistema de Transporte de Passageiros - Eixo Sul, o Expresso-DF, já estão garantidos. A Caixa Econômica liberou o financiamento no valor de R$ 561.522.650. O Expresso-DF é um dos três projetos no Distrito Federal beneficiados pelo Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) Mobilidade Grandes Cidades. A gestão do PAC no Distrito Federal é coordenada pela Casa Civil do DF.

O Governo do Distrito Federal cumpriu todos os requisitos exigidos pela Secretaria do Tesouro Nacional, do Ministério da Fazenda, para que a operação de financiamento fosse concluída com a Caixa Econômica Federal, conforme dispõe o art. 32 da Lei Complementar nº 101/2000 e a Resolução do Senado Federal (RSF) nº 43/2001. De acordo com o cronograma financeiro liberado pela Caixa, os recursos destinados ao Expresso DF serão repassados ao Governo do Distrito Federal em três etapas: a primeira, ainda neste ano, no valor de R$ 31 milhões.

As obras do Expresso-DF começaram em novembro de 2011, com recursos do próprio GDF e estão previstas para serem concluídas até o fim de 2013. O sistema de transporte de passageiros será formado por 35 km de via exclusiva para ônibus, interligando as regiões administrativas do Gama, de Santa Maria, do Park Way e de Brasília. O projeto beneficiará diariamente cerca de 220 mil pessoas do Distrito Federal. O custo total da obra é de R$ 785 milhões, com recursos do Tesouro Nacional e do próprio GDF. O tempo médio de percurso entre os pontos diminuirá de 1h30 para 40 minutos.

O Expresso-DF será composto por veículos articulados, com capacidade para 160 passageiros, e biarticulados, para até 200 pessoas. A capacidade nos horários de pico será de 20 mil passageiros por hora. Para atender a demanda, serão construídos terminais em Santa Maria e no Gama, 15 estações, 15 passarelas, além da utilização de anexos de terminais na Rodoviária do Plano Piloto e da rodoviária do Gama.

O cronograma das obras do Expresso-DF está avançado. Atualmente, o subtrecho 1, que liga o Gama ao Catetinho, é o mais adiantado, assim como o terminal final de Santa Maria (subtrecho 5). As obras acontecem em tempo integral, inclusive nos finais de semana. No subtrecho 1, estão concluídos sete quilômetros de pavimento rígido em cada pista, além dos viadutos do Combinado Agrourbano de Brasília (Caub) e o retorno da Universidade de Brasília (UnB).

As obras no Balão do Periquito estão em fase final. O terminal do Gama está com as fundações em fase de finalização e, em breve, os operários começarão a construir as estruturas. Há, também, duas estações em construção: a de número um, próxima ao viaduto do Periquito, e a de número dois, próxima ao Caub.
Já no terminal de Santa Maria as fundações estão bem adiantadas e prontas para receber a estrutura. Mais à frente, no subtrecho 6, que vai da Epia até o Eixo Rodoviário, a terraplanagem está praticamente concluída, além de parte do pavimento rígido executado. Também foi iniciada a escavação para a implantação do viaduto da Estrada Parque Dom Bosco (EPDB). Na região, há um desvio para transferir o tráfego e, assim, começar as obras do viaduto.
O PAC Mobilidade Grandes Cidades no âmbito do DF inclui três projetos de infraestrutura de sistemas de transporte público coletivo: o Expresso-DF (Eixo-Sul), Expresso Oeste e expansão do Metrô-DF. O investimento total é de R$ 2,2 bilhões, com financiamento da Caixa Econômica Federal. Ao todo, a contrapartida do GDF é de R$ 332 milhões.

FONTE: NOTIBRAS